Irlanda pode ser o próximo país a considerar animais como pessoas não humanas

Clique aqui para comentar esta publicação


PRIMATAS E GOLFINHOS

Irlanda pode ser o próximo país a considerar animais como pessoas não humanas

17 de janeiro de 2015 

(da Redação)
Foto: One Green Planet
Foto: One Green Planet

No final de dezembro do ano passado, a Argentina ocupou os noticiários quando concedeu a uma orangotango chamada Sandra, o status de “pessoa não-humana” e a liberdade de ser removida do Zoológico de Buenos Aires. Sandra, um animal tímido, estava obviamente tendo uma vida infeliz no zoológico. A decisão garante os seus direitos e permite que ela seja movida para um santuário de primatas no Brasil, onde ela poderá viver da forma mais próxima possível de sua natureza enquanto animal nascido em cativeiro, e finalmente ficará livre do assédio das multidões de pessoas das quais regularmente fugia quando era forçosamente exposta.
Segundo a reportagem, Sandra está pavimentando o caminho para outros primatas. Compartilhando 97% do seu DNA com os humanos, é apenas uma questão de tempo até que mais desses animais conquistem tais direitos. Infelizmente, a Tommy, um chimpanzé de Nova York, foi recentemente negado um mandado de habeas corpus que estava sendo pleiteado por advogados ativistas nos tribunais. Foi determinado que “chimpanzés não têm direitos humanos”, pela Corte de Nova York.
Ativistas na Irlanda, no entanto, estão empolgados com o sucesso do caso de Sandra. O Animal Rights Action Network (ARAN), maior grupo de direitos animais do país, já colocou um plano em ação para buscar um resultado similar para os macacos do Zoológico de Dublin no Ano Novo, adotando uma ação semelhante à que foi apresentada na Argentina nos tribunais da Irlanda.
Quando Leo Oosterweghel, diretor do Zoológico de Dublin, foi entrevistado sobre o assunto, ele respondeu que não é “contrário” à ideia. Ao invés disso, Oosterwehel declarou entender por que a decisão foi tomada.
“A fronteira entre macacos e humanos está continuamente se desfazendo e não há um dia em que eu não fique surpreso com os paralelos entre o comportamento deles e o humano”, disse ele. “Todo esse campo da ética é uma área que evolui rapidamente. Isso reforça a posição dos animais”.
Embora não esteja apoiando a libertação dos 16 macacos que atualmente vivem no zoológico, Oosterweghel disse que irá assitir e acompanhar às implicações deste movimento com grande interesse.
A Irlanda está se juntando a diversos outros países que já deram passos para conceder direitos a algumas “pessoas não-humanas”. A Índia, por exemplo, aprovou uma lei que reconhece os golfinhos como pessoas não-humanas, em 2013. Esta lei efetivamente proibiu a manutenção de golfinhos em cativeiro e auxiliou no fechamento de vários parques marinhos. Esforços para reconhecer golfinhos como pessoas não-humanas também estão ocorrendo na Romênia e têm sido discutidos por muitos outros países, incluindo os Estados Unidos. De fato, a cidade de Malibu, na Califórnia, emitiu uma declaração no início deste ano em que dizia que golfinhos e baleias “merecem o direito à liberdade e à vida”.
Com o sucesso nessa frente, deverá ser mais fácil conceder a outros animais o recurso de habeas corpus ou alguns direitos jurídicos básicos. O tribunal de Nova York afirmou que uma das razões pelas quais não foi concedido o direito ao chimpanzé Tommy é o fato do habeas corpus nunca ter sido usado em um caso não-humano anteriormente. O sucesso poderá ser mais facilmente obtido em ações próximas.
Pesquisas têm continuamente provado que muitos animais, não somente os primatas, são capazes de demonstrar as mesmas emoções e inteligência que antes eram consideradas características “apenas humanas”.
John Carmody, presidente do ARAN, está ansioso para ver mudanças graças ao sucesso do caso de Sandra. “Abre o caminho para todos os macacos”, disse ele. “Isso poderá agitar a indústria de zoológicos de todo o mundo. Penso que o Zoológico de Dublin deve ficar preocupado”.
Extraído de: http://www.anda.jor.br/17/01/2015/irlanda-proximo-pais-considerar-animais-nao-humanas

Leia também

Nossa campanha 'Castrar é um ato de amor' nunca esteve tão forte. No final de 2014, nosso trabalho e cooperação com afiliadas e organizações parceiras resultou em dois mutirões de castração no estado do Amazonas, nas cidades de Tefé e Manaus. Além disso,publicamos um artigo de opinião que desmistifica os preconceitos contra a esterilização de cães e gatos no Brasil Post, ao mesmo tempo em que destacamos os benefícios que a prática traz para a saúde dos animais e seu impacto positivo no controle populacional humanitário.
Confira essas e demais notícias sobre o que fizemos no mês passado e ajude-nos a espalhar essa importante mensagem: castrar é um ato de amor!

DESTAQUES 

Nós decidimos que já passou da hora de desmistificarmos as concepções ruins e equivocadas frequentemente ainda associadas à esterilização de cães e gatos no Brasil. Para isso, utilizamos um espaço que conquistamos na grande mídia para falar de forma simples e direta sobre esse assunto. Leia e ajude-nos a espalhar essa mensagem, enviando o artigo para seus contatos por email e compartilhando nas redes sociais!


No início de 2014, o FNPDA, em parceria com a Humane Society International (HSI) e com o Grupo Proteção Animal (GPA) de Manaus, realizou com sucesso uma campanha que impediu o recolhimento e morte de cães das ruas de cidades participantes da Copa do Mundo. Mas nós sabíamos que era preciso fazer mais, e fizemos! Em dezembro, como última ação da campanha, cerca de 50 animais que tinham sido resgatados foram castrados. 


Nossa campanha para construir um futuro melhor para os cães e gatos de Tefé, na Amazônia, trouxe belos resultados. Com o apoio da Anclivepa e participação da APAT, o primeiro mutirão de castração da história da cidade foi realizado, educadores receberam qualificação em bem-estar animal e médicos veterinários locais foram treinados para realizar cirurgias de castração menos invasivas.  Confira aqui os resultados!


No ano de 2014 conquistamos vitórias incríveis para os animais e pavimentamos bem o caminho para que conquistas ainda maiores aconteçam em 2015. Salvamos animais antes da Copa do Mundo, pressionamos empresas a acabar com práticas extremamente abusivas, qualificamos educadores e muito mais. Nosso maior desejo é construir um Brasil onde todos os animais – sejam eles os usados em laboratório, criados para consumo, domésticos ou silvestres – sejam protegidos e defendidos. Confira e junte-se a nós!




MAIS NOTÍCIAS
Revista Terra da Gente expõe nossa visão de que zoológicos com pura finalidade de expor animais não deveriam existir
Grupo de ONGs é formado para monitorar processos legislativos que envolvam animais no estado do Rio
Cineasta Cacá Diegues responde questionamento do FNPDA sobre seu filme que inclui imagens de animais em circos 
FNPDA palestra sobre proteção animal em encontros no Rio

DESTAQUES DAS AFILIADAS
Projeto Mucky lança campanha de arrecadação coletiva para trocar carro que garante a sobrevivência dos animais de seu santuário
SVB: Luta em defesa dos jumentos do Nordeste não terminou
SVB: Tom Regan confirma presença no VegFest de 2015
Campanha 'Natal Sem Abandono' da Fundação Alexandra Schlumberger ganha apoio da Leroy Merlin
ONG 'Estimação - Proteção Animal e Meio Ambiente' resgata mais de 60 animais em dezembro
Amigos dos Animais de Sergipe realiza trabalhos de conscientização com estudantes
Hachi Ong e APRABLU realizam Campanha pela Erradicação da Cinomose com o apoio da Prefeitura de Blumenau
Hachi Ong forma parceria com a Universidade Regional de Blumenau para promover a campanha “Não Abandone Seu Amigo"
Cão Viver lança calendário para arrecadar fundos

QUEM SOMOS
O Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal (FNPDA) é a maior rede de proteção animal do Brasil, com mais de 100 afiliadas em todas as regiões do país. Há mais de quinze anos, atuamos na disseminação do respeito, proteção e defesa dos animais. Lutamos para construir uma nova sociedade onde a compaixão pela vida animal seja um valor nacional, compartilhado por todos os brasileiros. Ao mesmo tempo, nossas afiliadas proveem cuidado direto para milhares de animais que são vítimas de abuso, abandono ou tráfico. Saiba mais: www.forumanimal.org

Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário